CVD Imoveis, Imobiliária, casas, apartamentos, terrenos à venda, aluguel temporada, aluguel anual, Jurerê, Jurerê Internacional, Florianópolis – SC
CRECI 4291J
+55 (48) 4104 2958
Informações Gerais
Quartos
0
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
13
Garagens
0
1
2
3
4
5
6
7
8
10
12
20
Banheiros
0
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
13
Código não encontrado
  • Praia da Joaquina | Florianópolis

A Praia da Joaquina ou Joaca, como é apelidada pelos moradores, é a praia das ‘’altas’’ ondas. Geralmente geladas, já foram dropadas por grandes nomes do surfe, sendo sede de campeonatos nacionais e até mundiais. Os eventos de surfe, realizados desde a década de 70, deram reconhecimento internacional à Joaquina.
Assim como a vizinha Praia Mole, reúne a garotada jovem e esportista. Também é frequentada por famílias e várias excursões de turismo do Brasil e do exterior. No verão, as areias da Joaca se tornam palco de eventos, muitos deles esportivos.
Além da praia e do surfe, as dunas também são famosas, consideradas as melhores do sul do país. Lá se criou o sandboard, uma espécie de surfe, mas na areia. Hoje é a atração principal dos que não se arriscam a pegar ondas no mar.
O aglomerado de rochas, situado à esquerda, chama a atenção pelo tamanho das pedras e beleza. Compensa acordar cedinho e esperar o nascer do sol, chamado por muitas pessoas de singular.

Características Naturais da Praia Joaquina

Assim como Moçambique e Barra da Lagoa, as praias da Joaquina e do Campeche são ligadas pela mesma faixa de areia. Mas por fator geográfico, a Lagoinha Pequena é oficialmente o marco inicial da praia, que se estende até a Ponta do Retiro. A Joaquina é cercada por muitas dunas, que ficam bem movimentadas na alta temporada.
A Joaquina possui uma extensão de três mil metros e uma faixa de areia entre 8m e 80m. As areias são claras e finas. Possui as mesmas características do mar da Praia Mole; é forte, bravo e traiçoeiro. Aberta para o Oceano Atlântico, a praia é de tombo, ou seja, logo após a zona de varrido a profundidade pode aumentar abruptamente. Isto acontece por que o relevo do fundo possui grande inclinação.
As ondas são fortes e longas, predominantemente do tipo mergulhantes (caixote), podendo levar os banhistas mar adentro ou para o fundo; mesmo estando na parte rasa. Um pouco antes e durante a maré alta (luas nova e cheia), percebe-se bem o repuxo, outra peculiaridade deste tipo de praia e que também deixa o banho de mar ainda mais perigoso.

História da Praia Joaquina

Antigamente, a praia era conhecida como Ponta das Garças, por estar sempre habitada por várias aves; Praia do Campeche, quando era tudo a mesma praia; Praia do Mar Grosso, por causa da salinidade do mar; Praia das Dunas, pois antes da especulação imobiliária, o acesso era somente pelas dunas. E a partir de 1975, como Joaquina.
A praia da “Joaca” foi ganhando fama a partir da década de 70, quando suas ondas foram descobertas por surfistas. Vários campeonatos de surfe foram surgindo, destacando grandes personalidades catarinenses e ganhando renome internacional.
A origem do nome Joaquina é envolta a mistérios. Diz a lenda que na Lagoa do século XIX, passou-se uma estória de amor e tragédia envolvendo o jovem casal Joaquina, filha de seo Aparício e dona Aninha, e Alberto, um jovem pescador da Lagoa. Segundo o livro Joaquina – A Garota da Praia, de Ademar C. de Mello, Joaquina pedia ao seu amado que não fosse mais ao alto-mar. Alberto assegurou-lhe então que aquela seria sua última vez. E assim, aconteceu o inesperado. Albertinho não voltou; desaparecendo da vida de Joaquina na mesma ocasião em que perdera Ana, sua mãe e seu avô, restando-lhe somente o pai para cuidar.
Mesmo morando na Lagoa, apesar da recusa do pai, passou a atravessar o areial (dunas) até a praia do mar grosso justificando tirar mariscos das pedras do costão para ajudar no orçamento da casa. Na verdade, estes passeios serviam simplesmente para que, olhando o mar, lembrasse do seu eterno amor. Passados três anos da morte do marido, a moça antes alegre e cheia de vida, demonstrava sinais de mulher sofrida e maltratada pela saudade. Como uma sina que lhe perseguia, numa manhã morre Aparício, em casa, em sua cama, como se entregasse voluntariamente à Deus. Assim, Joaquina deixa a Lagoa para morar na praia do mar grosso, isolando-se numa casa ao pé do costão. Sendo que, ao amanhecer de um dia de setembro sobre as maretas e a areia da praia, Joaquina é encontrada morta. Talvez por não poder mais suportar a falta dos seus entes queridos. A partir daí, a praia do mar grosso passou a ser conhecida como a praia da Joaquina.
Outras crenças dizem que Joaquina era uma rendeira do início do século XVIII, moradora de uma das praias do leste da Ilha de Santa Catarina, que além de ensinar as mulheres a entrelaçar linhas e formar belíssimos utensílios domésticos, preparava comida para os pescadores que costumavam matar a fome em seu rancho à beira mar. Diz a lenda que certo dia ela estava na praia tecendo renda quando foi tragada pelas fortes ondas do mar.